domingo, 7 de novembro de 2004

A primeira vez a gente nunca esquece

Esse ano eu vivi uma experiência pra mim que foi muito marcante e que com certeza jamais esquecerei.

Quando eu poderia imaginar que eu iria ver uma Olimpíada? Isso sempre me pareceu algo intangível, ainda mais sendo as Olimpíadas em Atenas, na Grécia. Conhecer a Grécia é um sonho que alimento em minha vida há muitos anos. Quando eu tinha 16 anos (1996), por uma entidade internacional, passei a me corresponder com uma menina grega e de lá pra cá mantivemos contato por cartas. Foi com a ajuda dela que, em parte, pude realizar esse sonho, pois ela aceitou me receber em sua casa sem nunca ter me visto, a não ser por fotos que mandei nesses anos todos.

Ir para as Olimpíadas começou a surgir numa conversinha besta que estava tendo com minha mãe na casa dos meus avós no Rio, no fim do ano passado. Falei zoando como seria legal ir e minha mãe disse "Por quê não?" Como quem não queria nada, comecei a ver preços de passagem, fazer contas até que decidi fechar em março. Consegui negociar férias na empresa, parcelar a passagem em suaves prestações, grana emprestada pra levar durante a viagem... Comprei meu ticket.

No começo foi muito estressante pra mim a dificuldade de administrar a grana, que ficou bem curta, praticamente inexistente. Pensei em desistir... Mas sabia que se fizesse isso jamais me perdoaria por ter deixado de lado viver um sonho só porque a grana apertou. Segui em frente!!!

Nesse meio-tempo até chegar a viagem, pelo Orkut acabei conhecendo uma galera que também ía para Atenas. E não posso deixar de exaltar meus grandes amigos Marcelones, Val e Samuca, não só amigos para jogos, mas amigos para todo e qualquer momento. Marcamos happy hours, fomos pra 25 de Março comprar bugigangas pra levar, pra dar, trocar com as pessoas com quem lá fôssemos encontrar...

Felizmente nos encontramos, badalamos, zoamos muito em Atenas. Isso sem contar os muitos outros amigos que lá fizemos. Muito show! Parece uma grande familia... Cada um com uma formação, com uma vivência, com um estilo, mas todos com um objetivo e paixão em comum: o esporte.

Estar numa Olimpíada é experiência de vida, é aprendizado à tolerância de raças e povos, é confraternizar com o mundo. Ali não existe guerra; existe a competição, mas mesmo assim as pessoas se toleram, não se agridem, não se matam. Somente quem vai uma Olimpíada sabe o significado do "espírito olímpico".

Para sempre vou me lembrar dos momentos que vivi em Atenas, um sentimento que não dá pra explicar. A primeira vez a gente nunca esquece...

Pequim 2008... EU VOU!!!
Postar um comentário