quinta-feira, 3 de fevereiro de 2005

Reencontros, risadas, amizade...

O dia foi particularmente chato e até mesmo irritante no trabalho, mas não ia deixar que isso estragasse minha programação noturna.

Coincidentemente o Tadeu faz consultoria numa empresa que fica ao lado da Unikey e combinamos então de sair pra comer um japonês, ops... hehehehe... comer comida japonesa!! Na verdade, na terça eu tava muito afim de sair pra comê-la e, meio sem-graça, perguntei se não queria acompanhar-me naquele dia [mas o mocinho já tinha jantado às 6 pm] e então ele propôs na quinta porque ía pra Cotia. Nos falamos durante o dia e, por sorte, o Tadeu não ficou na Clear. Hahahaha... Putz, liguei lá às 5:45 pm pra avisar que o buscava no local combinado, mas a recepcionista disse que ele já havia saído. Como assim?!?!?! A questão é que o pai dele também se chama Tadeu, aí ele foi embora e a recepcionista entendeu que era pelo pai dele que eu estava procurando. Hehehehe... Ainda bem que eu consegui falar com ele no celular, se não... O Tadeu ia ficar lá na Clear. Hahahaha... [lógico que não porque o máximo que ia acontecer eu ia até lá pra ver o que tinha acontecido, mas não deixa de ser engraçado a situação dele lá esquecido]. Tá, é brincadeirinha!! :-P

Bom, mas tudo deu certo: falei com ele no celular e o busquei no local combinado na Raposo. Decidimos ir ao Zeni comer. Abrimos o restaurante. O bom foi que pegamos o tatami lá do fundo que fica "mais" silencioso. Até que não ficamos muito naqueles papos viajantes e filosóficos (hehehe...), até esquecemos de falar do curso de história da arte do MASP que estamos vendo de fazer em março/abril [Introdução à História da Arte I]. Aliás, como falamos besteira durante esse jantar e lógico que saíram algumas pérolas dessa pessoa que vos fala. Ai, eu sou campeã de cometer gafes ou dizer coisas que dão sentido dúbio e que, lógico, as pessoas sempre levam no lado mais perverso da coisa. Hahahaha...

Nem vou ficar querendo explicar o contexto das frases, mas assim, caro leitor, tente ter sua mente o mais pura possível para interpretar minhas frases que foram sem qualquer maldade. Hehehehe...

  • Eu consigo pegar fácil quando é grande.
  • Eu não gosto de pegar no que é dos outros.
  • Eu não posso ficar muito tempo na mesma posição porque dói o joelho.

É difícil eu ficar sem graça, mas depois de ter dito as frases acima, e o Tadeu me zoando... Eu fiquei com as buchechas coradas. Hahahaha... Mas ele não pode dizer nada porque pra quem "adora" nabo.... Hahahaha... [Tá, não podia deixar passar o comentário].

Gosto do Zeni, mas não gostei muito da comida ontem. Acho que, como me acostumei com a ótima comida japonesa do Hiro, o Zeni agora não é mais aqueeeela coisa. Mas o que valeu mesmo foi a companhia e a conversa totalmente descontraída. Entramos lá às 7 pm e saímos eram 10:40 pm. De lá fui deixá-lo em casa.

A outra coisa legal do dia é que durante o jantar toca meu celular e era o Guilherme, primo da Cí, que mora em Brasília. Foi uma total surpresa!! Ele está em Sampa hospedado num hotel na região da Paulista, está a trabalho e decidiu me ligar. Por fim, deixei o Tadeu em casa, liguei pro Gui pra tentar combinar algo na sexta, mas no fim acabei passando no hotel pra gente conversar. De vez em quando eu me arrependo das idéias que tenho, mas por fim foi ótimo ter ido lá porque conversamos bastante sobre nossa amiga [e prima dele], sobre relações internacionais, concurso do IRB [ele está me convencendo a fazer novamente a prova pra diplomata], trabalho, planos 2005... O papo tava tão bom que esquecemos da hora e quando me dei conta já era 4 am, daí desencanei né... Já tava fu... e mal paga pra trabalhar hoje, mas como não sei quando vamos nos encontrar novamente [ele morando em Brasília e viajando a trabalho sempre, e eu aqui em SP fica difícil], então conversamos mais um pouco, vim embora pra casa, dormi por umas 2 horas e fui trabalhar [ou melhor, fui de corpo, mas sem alma porque esta ficou na minha cama]. Hahahaha...

A noite de quinta não podia ter sido melhor: comer comida japonesa com o Tadeu e a surpresa de reencontrar o Gui depois de uns 6 meses sem vê-lo.

Postar um comentário